quinta-feira, 24 de julho de 2014

Férias Perfeitas

No Sótão da Gina tem-se observado o vaivém de pessoas para as férias de Verão e comenta-se aqui e ali o que serão as férias perfeitas para cada um.

Férias Perfeitas
Se por um lado uns preferem praia, outros optam pelo campo, outros ainda pelos lugares mais exóticos e longínquos. Há quem goste de calma e sossego, há quem goste de grandes multidões, mas entre os gostos bastante diferenciados e a diversificação da oferta o que seriam as férias perfeitas? 

Em 2012, com o patrocínio da cadeia de hotéis Holiday Inn,  o psicólogo Dr. David Lewis da Universidade de Sussex no Reino Unido, conduziu um estudo sobre “The Perfect Holiday”, ou seja “As Férias Perfeitas” e apresentou a sua fórmula sobre a qual não entendo nada,  mas acho no mínimo curioso, senão intrigante como se pode colocar tal questão nesta fórmula matemática ((N(d)μ(d)-40)(r))/(σ(b)((C(d)-μ(d) )N(d)-41/40 c) ) (41c.a)/40^2 -, e concluir o seguinte:

 -   Férias Perfeitas = fazer férias curtas e mais vezes durante o ano.

imagem retirada de fotos google
Férias Perfeitas
O Dr David Lewis concluiu através da sua fórmula onde incluiu o número de dias que podemos usufruir, o custo das férias e factores tais como a ansiedade, stress, cansaço, tédio ou capacidade ou incapacidade de relaxar, que as férias perfeitas devem ser com mais descanso e menos stress, durante apenas três dias e para destinos a não mais de quatro horas de distância.

As investigações do Dr. David Lewis demonstraram que várias pessoas sentem que as férias no exterior podem ser stressantes, e que voltam para casa mais desgastados e cansados do que animados e revigorados, como pretendiam.

Férias Perfeitas
Assim, a conclusão do estudo foi que nas férias tradicionais e longas, as pessoas voltam ao local de trabalho mais cansados e stressados que antes de irem de férias porque para além do stress e cansaço causado pela viagem em si, os excessos de sol, comida e bebida, normalmente cometidos nas férias, acabam por proporcionar exactamente o inverso do que se pretende numas férias perfeitas, que é tão simples como o descanso do corpo; e  em linguagem simples se traduz no “recarregar baterias”.


Seguramente, cada um terá a sua medida certa para as férias perfeitas, seja na praia, no campo, num local simples, exótico ou sofisticado, mas deverá não esquecer que as férias são uma pausa do trabalho para que no regresso esteja completamente renovado e pronto a enfrentar os problemas do quotidiano de forma mais positiva e leve.

Férias Perfeitas


Não descure ou tão pouco despreze, a ideia de ter de ficar em casa porque de facto muitas vezes  nem precisa de sair para ter as férias perfeitas que necessita; se for esse o caso apenas tem que criar a atmosfera e ter a atitude certa para que tal seja possível. Experimente,  invente, e ouse reinventar-se, o resultado pode ser surpreendente!




No Sótão da Gina, as férias perfeitas têm a sua própria fórmula não matemática, e combinam um número pequeno de ingredientes, independentemente do local escolhido:

- mar, campo, natureza  - longe de multidões.
- livro para ler + caderno, lapiseira e caneta para escrever e desenhar.
- MP3 e auscultadores
- máquina fotográfica
- mínimo de roupa possível e chinelas (havaianas)

Férias Perfeitas
Mas há um sonho de férias perfeitas ainda por concretizar: as férias sem relógio – por agora não passa de um sonho que quem sabe um dia não se possa realizar.

E as suas férias perfeitas serão como? 
Ler mais »

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Dicas Para Um Bom Churrasco de Verão

Chega o Verão e no Sótão começa-se logo a programar churrascos em noites quentes, em boa companhia e à luz de velas aromáticas (preferencialmente de citronela para afugentar melgas e mosquitos); mas isto de um bom churrasco tem algo que se lhe diga para que corra e saiba bem, para não falar de alguns pequenos truques ou detalhes que tornam a experiência mais fácil, mais agradável e até mais saudável.

Dicas Para Um Bom Churrasco de Verão

Em primeiro lugar, é preciso não esquecer que cozinhar em carvão, apesar de ser algo muito apreciado, não é de todo aconselhável que o faça com demasiada frequência, e exige alguns cuidados acrescidos, visto que, na libertação de fumos há a contaminação por substâncias cancerígenas que será em maior intensidade se deixar que a peça de carne ou peixe se queime.

Assim, a maior precaução a ter em conta, é sem dúvida a de não colocar o alimento a grelhar enquanto o carvão não estiver todo com uma ligeira camada cinzenta de cinza, e a segunda, não colocar a grelha a uma distância menor que 20cm do carvão.  Se a primeira, ajuda a que o alimento não seja colocado em cima da chama directa, a segunda evitará seguramente que o mesmo esturrique e assim, grelhe de forma mais lenta,  permitindo que cozinhe bem e fique dourado como se pretende.

Grelhar frango ou outras carnes de porco, vaca, borrego ou coelho impõe cuidados bem diferentes de grelhar peixe, por isso para que cada experiência seja mais fácil aqui vão algumas dicas para que tal aconteça:

1-      Grelhar frango – coloque o frango com a pele para cima primeiro, e só depois quando as brasas estiverem um pouco mais apagadas é que deve virar a parte com pele para baixo,  pois se não o fizer, a gordura salpicará as brasas logo ao início e facilmente incendiará as mesmas.  Se apesar desse cuidado isso acontecer, deverá ter por perto num recipiente metálico, cinzas que guardou de outro churrasco e que utilizará para espalhar, cuidadosamente, com uma pequena pá metálica pelas brasas que incendiaram, de forma a acalmar o fogo.
2-      Grelhar um lombo de porco inteiro – se for possível utilize lenha em vez de carvão. Prepare a lenha como se estivesse a acender a lareira, tendo em atenção que deverá ter um tronco maior que irá manter o calor durante pelo menos uma hora. Quando já tiver boas brasas, espalhe-as e coloque o tronco grande na parte de trás da churrasqueira para que fique, de forma indirecta, a fumar a carne. Ou seja, o fumo do tronco vai sendo libertado por trás e não por baixo da carne, e dessa forma, a carne ficará com um sabor a fumado mas não recebendo a libertação de fumos de forma directa.  Por baixo da carne, vá mantendo apenas algumas brasas. Este processo é demorado mas compensa porque o resultado final é excelente.   
Esta dica poderá servir também para grelhar um teclado de porco, um coelho inteiro ou até uma pá de borrego.
Nunca, mas nunca pique a carne com um garfo ou seja lá o que for! Utilize espátulas ou pinças grandes.  Porquê? Porque se o fizer vai perder os sucos naturais da carne que ajudam a que a mesma fique bem suculenta.  

Dicas Para Um Bom Churrasco de Verão

3-   Assar sardinhas – de todos os peixes, assar sardinhas é de facto mais difícil, muito embora haja quem  pense que não. Assar sardinhas de forma a que as mesmas fiquem douradas e nada queimadas ou esturricadas é de grande mestria, e que para tal é necessário a preparação correcta das brasas, que deverão estar repletas de cinza e completamente calmas e sem fagulhas. Saber esperar o momento certo para colocar as sardinhas na grelha é o primeiro passo, sendo o segundo a forma de as colocar e manusear na grelha. Nunca utilize aquelas grelhas que se dobram e apertam e esborracham o peixe, é o pior que pode fazer a uma sardinha ou a qualquer peixe, que deve ser virado de forma cuidadosa para que a pele fique intacta e assim vá para a mesa.  
Outros  peixes do tipo robalo ou douradas, deveram ser massajados com azeite antes de irem para a grelha para evitar que a pele se pegue à mesma, ao mesmo tempo que lhe serve de emoliente tornando-o   mais suculento. Não faça nenhum daqueles cortes diagonais que algumas pessoas fazem, porque isso só serve para que o peixe perca a sua gordura mais rapidamente e seque ao cozinhar. A pele intacta serve de capa protectora que conserva os sucos e gorduras naturais do peixe. Deixe-o grelhar de forma homogénea e vire-o cuidadosamente apenas uma vez de cada lado, para que grelhe uniformemente, sem queimar e ficar com aspecto douradinho e apetecível.


Dicas Para Um Bom Churrasco de Verão
Em qualquer churrasco que se prese, os molhos, são de facto muito importantes e dependem apenas do gosto pessoal de cada um. Uns gostam de picante, outros de gostos mais exóticos e aromáticos, mas entre esses gostos variáveis, a utilização do azeite como base, deve ser a regra mais importante, não só pela riqueza nutritiva que lhe é aportada mas também porque tanto na carne como no peixe serve de emoliente tornando o alimento muito mais suculento e saboroso.   

Se gosta de churrasco como nós no Sótão da Gina, planeie já o seu próximo numa roda de bons amigos utilizando as minhas dicas, não esquecendo que um bom churrasco de Verão não gosta de pressas, por isso, reserve uma boa dose do seu tempo e relaxe, divirta-se a cozinhar e sobretudo alimente-se bem em qualidade e nunca em demasia.  
Ler mais »

Subscreva o Sótão da Gina por email para não perder novas actualizações

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...